Greenmeeting

                                                             Notícias    Apresentação    Objetivo    Coordenação    Patrocínio    Público Alvo    Divulgação    Edições Anteriores    Carta de Princípios    Projetos    –    Contato       

Notícias

Inundações sem precedentes no Rio Grande do Sul.

Brasília 18/5/2024, 10h46

Apesar de Porto Alegre estar com céu limpo desde domingo, o nível das águas continua alto, alagando áreas que não tinham sido atingidas até o momento. Moradores dos bairros da Cidade Baixa, no centro da capital gaúcha, e do Menino Deus, na zona sul, tiveram de evacuar as regiões depois que bombas de drenagem da prefeitura foram inundadas e acabaram sendo desligadas por questões de segurança.

Essas bombas são responsáveis por tirar a água e jogar de volta ao rio Guaíba, que está com 5,27 metros, acima da cota de inundação. Com o desligamento, as ruas, carros, casas e comércios dos bairros foram tomados pela água em menos de meia hora. (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)

“Peguei só o principal e vou voltar para o trabalho”, disse uma moradora. “Foi o tempo de levantar as coisas e sair de dentro de casa”, afirmou outro morador, dentro da casa inundada. Equipes de segurança foram ao local para ajudar na evacuação, com a recomendação que os moradores busquem locais seguros e abrigos.

Até a manhã de hoje (18), cerca de 80% dos municípios do Rio Grande do Sul já tinham sido afetados pelas fortes chuvas, segundo boletim da Defesa Civil estadual. O balanço aponta ainda 155 mortes confirmadas decorrentes dos temporais e mais de 600 mil fora de casa.

Fonte: Agência Brasil.

XXII Congresso do Ministério Público de Meio Ambiente.

Brasília 27/4/2024, 11h14

Aconteceu na cidade de Belém, capital do Pará, nos dias 24 a 26 de abril de 2024, o Congresso Brasileiro do Ministério Público de Meio Ambiente. Sua 22ª edição do encontro que teve como tema central “Amazônia e Mudanças Climáticas”. Participaram dezenas de especialistas que têm atuado em diferentes regiões do Brasil. Alguns também estiveram nas últimas Conferências das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, nos Emirados Árabes Unidos e no Egito.

Nos três dias de programação, eles apresentaram experiências de projetos em desenvolvimento nas áreas de conservação socioambiental e redução das mudanças climáticas. Além de pesquisas e novas iniciativas de articulação entre órgãos públicos, questões jurídicas, e propostas de políticas de Estado para enfrentar os problemas climáticos. (Foto Divulgação).

De acordo com Alexandre Gaio, presidente da Associação de Membros do Ministério Público do Meio Ambiente, “não se trata apenas de trazer diagnósticos”, mas de dar voz às comunidades tradicionais. Pois, os crimes ambientais são múltiplos, como desmatamento, comércio ilegal de madeira, grilagem de terras, tráfico de animais, e merecem mais atenção de todo sistema judiciário. “Há potencial para enfrentar, mas para isso precisa de disposição dos ministérios públicos, dos órgãos de segurança pública, dos órgãos de fiscalização. De todos esses órgãos disporem de recursos humanos, de planejamento, de capacitação e de uma atuação articulada e integrada desses órgãos”.

Situação extremamente grave na usina Zaporizhia.

Brasília 9/4/2024, 16h28

Grande explosão, após suposto ataque com drone na Central Nuclear ucraniana de Zaporizhia não prejudicou a sua segurança, mas acentuou a “situação extremamente grave” na unidade, alertou nesta terça-feira (9/4) a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

A agência das Nações Unidas, citada pela Associated Press, indicou que foi informada hoje de uma explosão na maior central nuclear europeia, situada no Sul da Ucrânia e ocupada pela Rússia no início da invasão do país, em fevereiro de 2022. A explosão teria sido causada por um ataque com drone. 

Sem apresentar provas, Moscou alegou que a Ucrânia estava por trás de ataques com drones às instalações da central nuclear, ocorridos no dia anterior, e Kiev acusou a Rússia de usar táticas de desinformação. (Foto Divulgação).

O órgão de vigilância da ONU tem expressado repetidamente que o conflito pode gerar um desastre nuclear, lembrando a explosão de um reator em Chernobyl, em 1986, no Norte da Ucrânia, que projetou radiações mortais por vasta área. Os seis reatores de Zaporizhia estão desligados há meses, mas a central ainda precisa de energia e de pessoal qualificado para operar sistemas de refrigeração cruciais e outros recursos de segurança.

STF pede plano de combate a incêndio na Amazônia e Pantanal.

Brasília 25/03/2024, 09h46

O plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu, por unanimidade, que a União tem 90 dias para apresentar um plano de combate a incêndios nos biomas Amazônia e Pantanal com monitoramento, metas e estatísticas.

Entre as providências a serem adotadas pela União estão: a elaboração de um plano de recuperação da capacidade operacional do Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais e de um plano de ação com medidas concretas para processamento das informações prestadas ao Cadastro Ambiental Rural.

O Governo Federal deve apresentar ainda um plano para integrar os sistemas de monitoramento e autorizações de desmatamento e de titularidade fundiária rural. Também devem ser divulgados dados de execução orçamentária para o combate a incêndios.

Na semana passada, em outra decisão sobre questões ambientais, o Supremo determinou que o atual governo terá um prazo para cumprir metas de desmatamento da Amazônia, por meio da quinta fase do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento, que foi reativado no ano passado, após estar paralisado desde 2019.

Fonte: Agência Brasil.

UE prepara corredor marítimo de ajuda a Gaza.

A chefe da Comissão Europeia Ursula von der Leyen, disse neste sábado 09/03, que um corredor marítimo de ajuda humanitária poderá começar a operar a partir de Chipre neste final de semana, como parte da aceleração dos esforços ocidentais para aliviar a crise humanitária no enclave palestino de Gaza devastado pela guerra.

Os comentários de Ursula foram feitos um dia depois que o presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou planos para que militares dos EUA construíssem um porto temporário na costa mediterrânea de Gaza, em meio a alertas da ONU sobre a fome entre os 2,5 milhões de habitantes do território.

A presidente da Comissão da UE, Ursula von der Leyen, disse que um teste piloto de ajuda alimentar coletada por um grupo de caridade e apoiada pelos Emirados Árabes Unidos poderia estar deixando o Chipre de imediato. “Estamos lançando esse corredor marítimo do Chipre juntos, a União Europeia, os Emirados Árabes Unidos e os Estados Unidos”, afirmou ela após uma visita às instalações em Larnaca, no Chipre.

“Estamos agora muito perto de abrir esse corredor, esperamos que seja neste sábado e domingo, e estou muito feliz em ver que um piloto inicial será lançado hoje”. Autoridades norte-americanas disseram que a construção dessa instalação pode levar semanas, portanto, isso não ofereceria solução imediata para os níveis crescentes de fome. A ONU diz que a abertura de rotas terrestres deve continuar sendo a prioridade.

Antony Blinken reune com Lula em Brasília.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu, nesta quarta-feira (21), o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, no Palácio do Planalto. “Foi uma ótima reunião. Sou muito grato ao presidente [Lula] pelo seu tempo”, disse o chefe da diplomacia do país norte-americano ao deixar o encontro.

“Os Estados Unidos e o Brasil estão fazendo coisas muito importantes juntos. Estamos trabalhando juntos bilateralmente, regionalmente, mundialmente. É uma parceria muito importante e somos gratos pela sua amizade”, completou Blinken.

O norte-americano veio ao Brasil para participar da reunião de ministros do G20, grupo que reúne as 19 maiores economias do mundo, mais a União Europeia e a União Africana. A reunião ocorre no Rio de Janeiro, hoje e amanhã (22).

Em 2024, Brasil e Estados Unidos completam 200 anos de relações diplomáticas. Daqui, Blinken segue para a Argentina, onde se encontrará com o presidente Javier Milei. O encontro com Lula durou quase duas horas e na pauta estavam temas como o apoio dos Estados Unidos à presidência do Brasil no G20 e a parceria entre os dois países pelos direitos dos trabalhadores e na cooperação na transição para energia limpa.

Começa os preparativos para a reunião do G20 no Brasil.

Foi realizada por videoconferência na manhã desta terça-feira (30/01/24), a reunião com representantes dos países membros do G20. As quatro prioridades divulgadas pelo Brasil são a elaboração de políticas de comércio relacionadas com o desenvolvimento sustentável, tanto na área ambiental como na social; o mapeamento de cláusulas sobre desenvolvimento sustentável em acordos de investimentos; a promoção do aumento da participação de mulheres no comércio internacional, com a identificação das principais barreiras de acesso enfrentadas por elas; e a reforma da Organização Mundial do Comércio (OMC). (Foto: Chanceler Mauro Vieira).

O Grupo de Trabalho de Comércio e Investimentos do G20 é um dos 15 que integram a Trilha de Sherpas, comandada por enviados dos líderes do G20. Estes são responsáveis por encaminhar as discussões, supervisionar as negociações e acordos que formarão a agenda da cúpula final com chefes de estado e de governo, que será realizada nos dias 18 e 19 de novembro, no Rio de Janeiro. O nome sherpas se refere a uma etnia da região montanhosa do Nepal. São estes líderes que guiam os alpinistas que almejam chegar ao topo do Monte Everest, a montanha mais alta do planeta Terra.

No calendário anual de atividades para o G20, sob a presidência rotativa do Brasil, estão previstos mais de 120 eventos em diversas cidades-sede. A próxima reunião técnica do Grupo de Trabalho de Comércio e Investimentos do G20 está prevista para os dias 24 e 25 de abril, em Brasília. O Greenmeeting Brasília 2024, em junho, abordará temas imprescindíveis a agenda da Reunião no Rio de Janeiro.

Termina em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos a COP 28.

Terminou nesta quarta-feira (13/12) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, a COP 28 – Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, com a aprovação de um acordo de alcance histórico que visa a promover a transição energética, distanciando as nações dos combustíveis fósseis. É a primeira vez na história das conferências das Nações Unidas dedicadas ao clima que um documento final dos trabalhos reflete a transição dos combustíveis fósseis para fontes energéticas alternativas. A aprovação do documento, negociado pelos Emirados Árabes Unidos, desencadeou aplausos generalizados entre as delegações presentes à COP28. (Foto: Presidente da Conferência, Sultan Al Jaber).

O presidente da Conferência sobre as Alterações Climáticas, Sultan Al Jaber, saudou depois o que descreveu como decisão histórica para acelerar a ação climática. “Temos uma formulação sobre as energias fósseis no acordo final, pela primeira vez. Devemos estar orgulhosos deste sucesso histórico, e os Emirados Árabes Unidos, o meu país, estão orgulhosos do seu papel para chegarmos até aqui, salientou”.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, celebrou o acordo que reconhece pela primeira vez a necessidade de abandonar os combustíveis fósseis. Destacou que o acordo global da COP28 reafirma “claramente” a necessidade imperativa de limitar o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius, “exigindo reduções drásticas para as emissões globais de gases de efeito de estufa nesta década”, disse Guterres.

Ação israelense ao ataque terrorista do Hamas.

Atualização 14/01/2024. Tropas de Israel continuam cercando o entorno da Faixa de Gaza mantendo a população local sob total controle. Ninguém sai ou entra do território que teve o fornecimento de água e luz interrompido. Estima-se que pelo menos 150 pessoas ainda são mantidas pelo Hamas como reféns em Gaza.

O ministro israelense da Energia, Israel Katz, disse que o fornecimento só será restabelecido quando o grupo radical Hamas liberar os reféns que foram levados para Gaza durante o ataque terrorista de sábado (07/10/2023) por membros do grupo Hamas a comunidades no sul de Israel, transformando em carnificina no kibutz de Kfar Aza, com a morte de mais de mil pessoas, incluindo crianças. (Foto: Divulgação).

Números não oficiais dão conta de mais de 35 mil mortes na Faixa de Gaza desde que a área começou a ser intensamente bombardeada pelas forças israelenses em retaliação aos ataques do Hamas. Mais de 2 milhões de pessoas foram forçadas a deixar suas casas. Autoridades militares israelenses dizem que um dos objetivos dos bombardeios é a destruição da enorme rede de túneis mantida pelo Hamas por onde o grupo consegue escoar produtos e armamentos de modo clandestino.

Brasil na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Na sede das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira (19/09), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, a líderes mundiais que o princípio do multilateralismo global – que pressupõe igualdade soberana entre as nações, vem sendo corroído. Ao abrir o debate geral de chefes de Estado da 78ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, Lula defendeu a necessidade de uma reforma no sistema de governança global. 

Desde que assumiu o mandato, em discursos em diversas instâncias internacionais, Lula vem defendendo que o modelo atual de governança, criado depois da Segunda Guerra Mundial, não representa mais a geopolítica do século 21. Para o presidente, é preciso uma representação adequada de países emergentes em órgãos como o Conselho de Segurança da ONU. Hoje, esse conselho, com poder de tomar importantes decisões internacionais, reúne apenas Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido. (Foto: Ricardo Stuckert/PR).

“Continuaremos críticos a toda tentativa de dividir o mundo em zonas de influência e de reeditar a Guerra Fria. O Conselho de Segurança da ONU vem perdendo progressivamente sua credibilidade. Essa fragilidade decorre em particular da ação de seus membros permanentes, que travam guerras não autorizadas em busca de expansão territorial ou de mudança de regime. Sua paralisia é a prova mais eloquente da necessidade e urgência de reformá-lo, conferindo-lhe maior representatividade e eficácia”, disse Lula.

Tradicionalmente, cabe ao governo brasileiro fazer o primeiro discurso da Assembleia Geral da ONU, seguido do presidente dos Estados Unidos. Essa tradição vem desde os princípios da organização, no fim dos anos 1940. 

Fonte: Agência Brasil

Brasil assume a presidência do G20.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, passou neste domingo (10/09),   a presidência do G20  para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante o encerramento da 18ª Cúpula de Chefes de Governo e Estado do grupo, que ocorre em Nova Déli, na Índia.  A presidência brasileira no G20 terá três prioridades: a inclusão social e a luta contra a desigualdade, a fome e a pobreza; o enfrentamento das mudanças climáticas e a promoção do desenvolvimento sustentável em suas dimensões econômica, social e ambiental; e a defesa da reforma das instituições de governança global, que reflita a geopolítica do presente.

“Todas essas prioridades estão contidas no lema da presidência brasileira, que diz ‘Construindo um Mundo Justo e um Planeta Sustentável’”, disse Lula durante discurso no encerramento do encontro. Ele anunciou que serão criadas duas forças-tarefas: a Aliança Global contra a Fome e a Pobreza e a Mobilização Global contra a Mudança do Clima. (Foto: Ricardo Stuckert/PR).

O presidente brasileiro lembrou a tragédia no Rio Grande do Sul em decorrência da passagem de um ciclone extratropical. De acordo com o último balanço, divulgado às 18h deste sábado (9), o estado contabiliza 42 mortes e 46 pessoas seguem desaparecidas. São 88 municípios em estado de calamidade pública.

Fonte: Agência Brasil

Alckmin discute ajuda à população gaúcha.

O presidente em exercício, Geraldo Alckmin, convocou, na manhã desta sexta-feira (08/09), reunião no Palácio do Planalto para tratar da situação do Rio Grande do Sul após a passagem do ciclone extratropical. Representantes de dez ministérios participaram do encontro.   A determinação do encontro foi dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que viajou, nessa quinta-feira (07/09) à Índia para reunião do grupo econômico G20.

As tempestades já deixaram 42 mortos e atingiram os moradores de 82 municípios, sendo que 79 já têm situação de calamidade pública reconhecida pelo governo federal. Neste momento, 46 pessoas continuam desaparecidas em cidades gaúchas.

Participaram do encontro com o presidente em exercício, entre outros, os ministros Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação, José Múcio Monteiro, da Defesa, Nísia Trindade, da Saúde, Waldez Góes, da Integração e Desenvolvimento Regional, Wellington Dias, do Desenvolvimento Social, Paulo Teixeira, do Desenvolvimento Agrário, além do secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff Barreiros.

O Ministério da Saúde enviou dez kits de medicamentos e insumos de assistência farmacêutica, como seringas e soro, para auxílio à população afetada pelo ciclone extratropical. Cada kit tem capacidade para assistir 1,5 mil pessoas durante um mês. Dessa forma, permitirão o atendimento a 15 mil pessoas no período. Além disso, estoques de vacinas estão sendo reforçados.

 Fonte: Agência Brasil

Temporais e chuvas intensas na Serra Gaúcha.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse nesta sexta-feira (08/09), que o trabalho do governo para reconstruir as estruturas atingidas pelas enchentes provocadas pelo ciclone extratropical e chuvas intensas já começou a ser feito e que a equipe atua com a maior agilidade possível.

De acordo com dados atualizados pelo governo estadual nesta manhã, o número de desabrigados subiu para 3.046 e os desalojados são 7.781 pessoas. Ao todo, 123.268 pessoas, de 83 municípios gaúchos, foram atingidas de alguma forma pelas fortes chuvas. Ainda 25 pessoas continuam desaparecidas, sendo oito no município de Arroio do Meio, oito em Lajeado e nove em Muçum. (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini).

O estado registrou 43 feridos e 41 mortos após a tragédia. As cidade de Muçum (15), e de Roca Sales tiveram o maior número de mortes (10). Outras ocorreram em Cruzeiro do Sul (4), Lajeado (3), Ibiraiaras (2), Estrela (2) e Encantado, Imigrante, Mato Castelhano, Passo Fundo e Santa Tereza (um em cada cidade).  Em boletim divulgado pela Sala de Situação do governo do Estado, coordenada pela Defesa Civil e pela Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), o governo alerta para inundação dos rios Santa Maria, Ibirapuitã e Uruguai, com lenta elevação das águas nos municípios de Dom Pedrito, Alegrete, São Borja e Itaqui. 

Fonte: Agência Brasil.

Começa em Belém a Cúpula da Amazônia.

Em Belém para a Cúpula da Amazônia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (8/08) que o evento configura um marco na discussão sobre clima. Em seu programa semanal Conversa com o Presidente, transmitido pelo Canal Gov, ele lembrou que mais de 27 mil pessoas participaram das discussões prévias ao encontro, incluindo representantes de entidades, movimentos sociais, academia, centros de pesquisa e agências governamentais do Brasil e demais países amazônicos. (Foto: Presidente Lula e Governador do Pará Helder Barbalho).

A Cúpula da Amazônia reúne países-membros da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), criada em 1978 e que há 14 anos não se reunia. Formada por Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela, a OTCA forma o único bloco socioambiental da América Latina. Também foram convidados para a cúpula a Guiana Francesa, que detém territórios amazônicos, Indonésia, República do Congo e República Democrática do Congo, países com grandes florestas tropicais.

“A história da defesa da Amazônia e da floresta, da transição ecológica, vai ter dois momentos: antes e depois desse encontro. Porque esse encontro é a coisa mais forte já feita em defesa da questão do clima”, disse Lula, durante o programa. “A ideia básica é a gente sair daqui preparado para, de forma unificada, todos os países que têm floresta terem uma posição comum nos Emirados Árabes durante a COP28 e mudar a discussão”, completou.

Agência Brasil – Edição: Graça Adjuto

Papa Francisco envia Cardeal a Moscou.

Um enviado especial do papa Francisco chegou nesta quarta-feira (28/06/2023) a Moscou, na Rússia, para iniciar uma tentativa de negociação de paz na Ucrânia intermediada pela igreja católica, segundo o Kremlin. O representante do Vaticano, o cardeal Matteo Zuppi, foi enviado pelo papa Francisco, que havia sugerido a intermediação de um diálogo.

Ainda nesta quarta, o enviado do Vaticano se reunirá com um conselheiro para assuntos estrangeiros do presidente russo, Vladimir Putin, e ouvirá de membros do governo russo as condições de Moscou para a conversa. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Russia valoriza muito os esforços e iniciativas do Vaticano e acolhem a aspiração do papa de contribuir para o fim do conflito armado na Ucrânia. (Foto: Divulgação)

– Antes do início da guerra na Ucrânia, quando o país foi invadido pela Rússia em grande escala em fevereiro de 2022, especialistas de todo o mundo acreditavam que o conflito poderia ser decidido em dias. Porém, já se passaram 15 meses e não há perspectiva para um fim, mesmo diante de inúmeros desdobramentos em nível internacional e apelos públicos do Papa Francisco, além de orações e “contínua invocação ao Senhor pela paz”, como disse o próprio Pontífice ao receber o presidente Zelensky no Vaticano em 13 de maio.

Coroação do rei Charles III, leva Lula a encontro com Sunak

Lula foi à capital britânica para acompanhar a cerimônia de coroação do rei Charles III, e seu primeiro compromisso foi o encontro bilateral com Sunak. Lula agradeceu ao premiê britânico pelo anúncio de aporte no Fundo Amazônia e afirmou que o momento é de “restabelecer a normalidade” nas relações entre os dois países. 

Após encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sexta-feira (5/5/23), em Londres, o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, anunciou que vai contribuir com 80 milhões de libras (cerca de R$ 500 milhões) para o Fundo Amazônia. (Foto: Divulgação). 

O premiê afirmou que a decisão é resultado do reconhecimento ao trabalho realizado pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação à preservação ambiental. 

O rei Charles III do Reino Unido foi coroado no sábado ((6/5/23), com a coroa de St. Edward, na Abadia de Westminster, em Londres. Cerimônia ocorreu quase oito meses após a morte da rainha Elizabeth II, a mais longeva da história britânica. A coroação, cujas origens remontam a 1 mil anos atrás, é o maior evento cerimonial desde a ascensão da mãe de Charles ao trono, a rainha Elizabeth II, em 1953.

Presidente Lula desembarca em Lisboa

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou na manhã de sexta-feira, (21/04/23) em Lisboa para visita oficial ao país. É a primeira viagem do presidente à Europa desde o início do seu terceiro mandato.

Os compromissos oficiais começaram com o presidente participando da cerimônia de boas-vindas na Praça do Império, em frente ao Mosteiro do Jerônimo, e da deposição de flores junto ao túmulo do poeta português Luís de Camões, no interior do mosteiro. Na sequência, Lula teve encontro bilateral com o presidente Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém. (Foto: Divulgação)

Em seguida, houve o almoço oferecido pelo primeiro-ministro Antônio Costa e, à tarde, a 13ª Cúpula Luso-Brasileira, no Centro Cultural de Belém, com a assinatura dos acordos bilaterais. Inicialmente os dois chefes de governo teveram reunião reservada, seguido de uma plenária com as duas delegações.

De acordo com o Palácio do Planalto, foram assinados pelo menos 13 acordos e parcerias firmados com o governo português,  incluindo memorando de entendimento entre as agências espaciais do Brasil e de Portugal, entre as agências de cinema dos dois países para coprodução audiovisual e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com diversos ministérios do governo português.

Joe Biden, anunciou recursos ao Fundo Amazônia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta quinta-feira (20/04/23) que o país pretende aplicar US$ 500 milhões no Fundo Amazônia nos próximos cinco anos. A informação foi divulgada durante o Fórum Virtual de Grandes Economias sobre Clima e Energia, do qual o presidente Luiz Inácio Lula da Silva também participou nesta quinta.

O financiamento voltado para a proteção ambiental ainda deve ser negociado pelo presidente americano com o Congresso. “Hoje eu tenho o prazer de anunciar que pedirei os fundos para que possamos contribuir com US$ 500 milhões para o Fundo Amazônia e atividades relacionadas nos próximos cinco anos para apoiar o Brasil a eliminar o desmatamento até 2030”, disse Biden. (Foto: Divulgação).

Documento divulgado pela Casa Branca explica que o aporte está sendo feito diante do “renovado compromisso do Brasil de acabar com o desmatamento da floresta amazônica”.

Secretário-geral da Otan visita Kiev

Jens Stoltenberg, secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), visitou na quinta-feira (20//04/23) a capital ucraniana, o que aconteceu pela primeira vez desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro de 2022.

Stoltenberg esteve na Praça de São Miguel, na capital, que presta homenagem aos soldados ucranianos que morreram em combate e onde estão vários equipamentos militares russos danificados. Divulgou a imprensa ucraniana. Na visita de surpresa, o secretário anunciou novo pacote de ajuda dos Estados Unidos, de US$ 325 milhões, e o envio de tanques Leopard por parte da Dinamarca e dos Países Baixos. (Foto: Divulgação).

A Otan tem demonstrado o seu apoio à Ucrânia diante da invasão russa, e os Estados-membros fornecem equipamento militar a Kiev para combater o Exército russo. Para a Rússia, o apoio da aliança atlântica e dos Estados Unidos configura o envolvimento “numa guerra por procuração”.

A visita de Stoltenberg ocorre no momento em que a Ucrânia prepara uma contraofensiva. Lembrando que a Ucrânia apresentou, em setembro de 2022, pedido urgente de adesão à Otan, depois de o Kremlin ter anexado quatro regiões ucranianas.

Termina no Sharm El-Sheihk, no Egito, a COP 27.

Termina no balneário de Sharm El-Sheihk, no Egito, a COP 27, realizada entre os dias 7 e 18 de novembro 2022. As expectativas foram grandes, pois além de promover debates sobre as mudanças climáticas, os participantes buscaram soluções para minimizar os impactos no clima e alcançar a neutralidade de carbono, promessa feita por muitos países na última edição do evento.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, enfatizou que a meta está enfraquecendo à medida que o consumo de combustíveis fósseis aumenta. “Não se trata apenas de manter a meta de 1,5ºC: trata-se de manter as pessoas vivas”, disse. Guterres também citou um dos temas mais sensíveis da COP: o fundo de US$ 100 bilhões anuais, que nunca foram depositados integralmente para os países industrializados.

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva também discursou na conferência do Clima da ONU, a COP-27. O pequeno pavilhão da Conferência, sediado no Egito, esteve lotado de jornalistas e representantes internacionais para acompanhar o seu pronunciamento.

Desde 1995, a Organização das Nações Unidas (ONU) reúne lideranças de todo o mundo para discutir ações de enfrentamento ao desafio global das mudanças climáticas, chamada de Conferência das Partes (Conference of the Parties), a COP chegou à sua 27ª edição. A COP1 foi realizada em Berlim, na Alemanha, em 1995, e foi o primeiro movimento feito pela ONU para negociar metas e prazos para a redução da emissão de gases de efeito estufa. Entre os acordos mais importantes criados durante o evento está o Protocolo de Kyoto (COP3, em 1997), o Acordo de Paris (COP21, em 2015), e o mercado global de carbono (COP26, em 2021).

Charles III é proclamado novo rei do Reino Unido.

O rei Charles III foi oficialmente proclamado o novo monarca do Reino Unido no sábado (10/9/2022), abrindo uma nova era na história de um país que se prepara para se despedir de Elizabeth II, sua guia e símbolo de estabilidade por sete décadas.

Em uma cerimônia solene televisionada do Palácio de Saint-James em Londres, na presença de seu herdeiro William, da rainha consorte Camilla, da primeira-ministra Liz Truss e seus antecessores vivos, o Conselho da Ascensão assinou e anunciou a proclamação do novo rei.

O príncipe Charles Philip Arthur George se torna agora, pela morte de nossa soberana de feliz memória, o nosso rei Charles III. Deus salve o rei!”, proclamou o conselho antes que o próprio monarca fosse chamado à sala. O reinado da minha mãe foi inigualável pela sua duração, dedicação e devoção. Estou profundamente consciente desta grande herança e dos deveres e pesadas responsabilidades da soberania, que agora me são transmitidos, declarou o novo monarca.

O Reino Unido, contudo, não estava sem um líder de Estado desde a morte da rainha Elizabeth II na quinta-feira (8). Isso porque a lei Rex nunquam moritur (“o rei nunca morre”, em latim) determina que o trono seja assumido pelo primeiro integrante na linha de sucessão real assim que o último monarca morre. Portanto, Charles III se tornou rei no momento em que a mãe faleceu.

Morre na Escócia a rainha Elizabeth II, aos 96 anos.

A rainha Elizabeth II, do Reino Unido, morreu nesta quinta-feira (08/09/2022), aos 96 anos, no Castelo de Balmoral, na Escócia. A Família Real, incluindo o filho mais velho e herdeiro da monarca, Charles, e sua esposa Camilla, os príncipes Andrew e Edward, além do neto da monarca, príncipe William foram até o castelo para serem informados do falecimento.

Charles automaticamente se tornou o novo rei. Aos 73 anos, ele será o monarca mais velho a ser coroado na história britânica. A coroação, uma cerimônia simbólica, deve ocorrer em até um ano. Ele usará o título Charles III.

No dia anterior, ela havia sido fotografada nomeando Liz Truss como a nova primeira-ministra do país em Balmoral, a 15ª premiê de seu reinado recorde. Uma fonte do palácio disse que familiares imediatos foram informados e minimizou as especulações de que a monarca sofreu uma queda.

Elizabeth era a rainha da Grã-Bretanha e de mais de uma dúzia de outros países desde 1952, incluindo Canadá, Austrália e Nova Zelândia, e no início deste ano marcou seu 70º ano no trono com quatro dias de celebrações nacionais em junho.

M

 

M